América Latina e América Anglo-Saxônica


Chamado nos séculos passados de "Novo Mundo", a América teve diferentes processos de colonização e implementação de distintas culturas oriundas do continente europeu, que deixou como herança cultural, dentre outras coisas, o idioma, muito numerosos no continente americano.

Com isso, passou-se a existir uma espécie de "divisão" ou "regionalização" do nosso continente, separando nações que tem um idioma latino (deriva do latim) dos que tem a influência linguística anglo-saxônica (uma espécie de inglês arcaico). Sendo assim, países que usam o idioma oficial como o português, espanhol e francês foram classificadas como parte da chamada América Latina. Os demais países, provenientes da língua inglesa com forte influência britânica, foram englobados na América Anglo-Saxônica.

Resumindo, Canadá (exceto a província de Quebec), Estados Unidos, Belize, alguns países caribenhos (como Jamaica e Trinidad e Tobago) e a Guiana seriam considerados países anglo-saxônicos, enquanto o restante das nações fariam parte da América Latina.

CONTROVÉRSIAS

O termo ainda traz inúmeras controvérsias e polêmicas, alguns estudiosos, inclusive, consideram apenas Canadá e EUA como nações anglo-saxônicas, talvez pela maior influência britânica ou até mesmo por questões econômicas, já que fica claro que ambas as nações são mais desenvolvidas que o restante do continente americano. Neste pensamento, tudo que vier ao sul da divisa EUA-México, seria considerado um país latino.


A província de Quebec, localizada no Canadá, tem o idioma francês como predominante, em alguns casos, porém, acaba sendo classificado como anglo-saxônico, em contra partida, países fora da América do Norte, por vezes, mesmo tendo o idioma inglês como o oficial, não são considerados parte Anglo-Saxônica da América.

DIFERENÇAS

A diferença mais marcante entre as "duas Américas" é na economia e qualidade de vida, enquanto os países da América Anglo-Saxônica (EUA e Canadá) desfrutam de bons índices de qualidade na educação, saúde e grande poder no cenário mundial, sendo classificados como desenvolvidos, os países latino-americanos ainda são considerados subdesenvolvidos ou emergentes, como é o caso do Brasil. Além do nosso país, outras economias se destacam dentro desta regionalização, como o México e a Argentina.

Outra diferença cultural que deve ser destacada se vê em torno da religião, em quando os países saxônicos tem forte presença protestante (apesar dos católicos terem boa predominância na população destas nações), os latinos tem a maioria católica, inclusive, Brasil e México, alguns dos países que abrigam a maior população católica do mundo, são países latinos.

Hoje, é comum vermos o termo ser usado para discernir países mais ricos dos mais pobres do continente americano, sendo que tal inicialmente foi feito para simplesmente regionalizar diferentes culturas.






Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »