Relevo submarino: Plataforma continental, talude, região abissal e zona pelágica


Assim como o continente tem seus formatos irregulares, com terrenos mais altos e outros mais baixos, o fundo dos oceanos são constituídos de diferentes "desníveis" que formam o chamado relevo submarino.

Em terra firme, vemos as planícies, os planaltos, as depressões e as montanhas. Já nos oceanos, vemos alguns tipos de relevo, entre eles: Plataforma Continental, Talude, Região Abissal e Zona Pelágica

PLATAFORMA CONTINENTAL

A plataforma continental nada mais é que uma continuação do continente, que não ultrapassa meros 200 metros de profundidade. É a parte mais facilmente explorada do relevo submarino, por ser alcançada pelos raios solares com pouca dificuldade e, obviamente, ser próxima a costa. É onde temos a maior riqueza de cardumes e também na extração petrolífera.

TALUDE


A talude é a passagem da plataforma continental para o restante do relevo submarino. Geralmente é uma inclinação abrupta que marca o fim do continente.

REGIÃO ABISSAL

É a região mais inexplorada do oceano, com cerca de 5.000 metros de profundidade. Não existe incidência de luz e a vida marinha é rara. Lá, geralmente habitam seres exóticos e até alguns não catalogados.

ZONA PELÁGICA

A região Pelágica é constituída por diversas formas de relevo, que vão desde depressões até montanhas que formam ilhas oceânicas.

Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »