Economia do México


O México tem como característica uma economia totalmente amarrada a dos Estados Unidos, principalmente voltada a exportação para esse país. Isso foi impulsionado depois da adesão dos três países da América do Norte (Canadá, México e EUA) ao NAFTA. O país tem o segundo maior PIB da América Latina, apenas atrás do Brasil, e o 12º em todo o mundo, com cerca de 1,7 trilhões de dólares.

A agricultura é demasiadamente atrapalhada pelos fatores climáticos do país, já que a maior parte do território apresenta um clima semi-árido impróprio para este tipo de serviço. A agricultura divide espaço com a pecuária, que aproveita áreas mais planas e elevadas. Ambos coexistem em técnicas arcaicas e modernas. Entre os principais produtos do setor primário, destacam-se frutas, como o morango e a laranja, e o cultivo de cereais e grãos, principalmente o feijão.


A extração de madeira, como o cedro, também é forte, pois a indústria de papel e celulose é intensa no país. A pesca também torna-se importante, onde os principais produtos são o camarão, as anchovas e as sardinhas, voltadas principalmente para a exportação.

No campo da mineração, o México é um dos maiores produtores mundiais em minérios como a prata, enxofre, chumbo e mercúrio.

Concentrada nas principais cidades, as indústrias correspondem a mais de 30% do PIB mexicano, entre as quais destacam-se a têxtil, a siderúrgica, as químicas, siderúrgicas, entre outras de bens de consumo duráveis.

No setor de servições, destacam-se o comércio, as telecomunicações, o transporte, finanças (cujo principal centro financeiro é a cidade de Santa Fé) e o turismo (o México é um dos países mais procurados por turistas no mundo).





Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »