Conflitos étnico-separatistas (I): Bálcãs

Há milhares de anos, o gênero homo sai da África e povoa todos os continentes do mundo. Através dos séculos, esse isolamento geográfico foi capaz de criar diferentes formas de crenças, culturas e formas de ver o mundo entre os povos.

Junto com tais transformações, surgiram também os sentimentos etnocêntricos que proporcionaram uma divisão ainda mais forte entre os traços humanos. O choque cultural que iniciou-se no período das Grandes Navegações e foi atenuado posteriormente com a globalização promoveram uma disputa entre tais culturas, ocorrendo, por um lado, o processo de aculturação¹, como foi o contato entre indígenas e europeus, mas por outro, um sentimento de raiva e preconceito contra a cultura alheia.

Através de tal sentimento, surgem no mundo atual uma série de conflitos entre etnias. Neste post, destacamos o conflito nos Bálcãs.

BÁLCÃS

Os Bálcãs são uma região no sudeste da Europa, compreendendo atualmente Eslovênia, Croácia, Sérvia, Macedônia, Kosovo, Bósnia e Herzegovina e Montenegro.

Veja:
Mapa dos Bálcãs, localizado dentro da linha azul. By Original uploader and author was Perconte at de.wikipedia - Originally from de.wikipedia; description page is/was here., CC BY-SA 2.5, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=2681961
A região da península balcânica serviu de domínio para muitos reinos, entre os quais o Império Romano e Macedônico, ainda na Idade Antiga, e o Império Otomano e Império Austro-Húngaro, até a Primeira Guerra Mundial. Este passado de dominações transformou a região em um grande mosaico de etnias: bósnios, sérvios, croatas, macedônios, entre outros, habitam hoje a região. Além disso, coexistem entre essas nações três religiões (muçulmana, católica romana e ortodoxa) e diversos idiomas.

ANTECEDENTES

Após a derrota do Império Otomano e do Império Austro-Húngaro na Primeira Guerra, que até então dominaram a região, ocorreu um processo de independência nos Bálcãs, com o criação de um país que reuniu em seu território todo um mosaico de credos, culturas, religiões e idiomas: surgia o "reino dos sérvios, croatas e eslavos", futuramente chamado de Iugoslávia (terra dos eslavos do sul).
Josip Broz "Tito"
Josip Broz "Tito" assumiu o poder do país logo após sua formação. Em seu governo, ele adquiriu grande carisma da população, principalmente depois da resistência à invasão nazista durante a Segunda Guerra Mundial e também após propor uma "via própria para o socialismo", isto é, Tito instaurou um socialismo não-alinhado a União Soviética na Iugoslávia. Por estes motivos, Josip Broz conseguiu segurar a iminência de uma guerra civil, mantendo, até sua morte (1980) a unidade da Iugoslávia.

Com a morte de Tito, o país perdia seu grande articulador político e, logo, o "barril de pólvora iugoslavo" explodiu. Afinal, devemos lembrar que o país era composto diversas etnias quase sem nenhuma relação entre si. Isto fica claro pela frase popular entre os jornais da época: "Seis repúblicas, cinco etnias, quatro línguas, três religiões, dois alfabetos e um Partido".
Composição étnica da antiga Iugoslávia. Notar o mosaico étnico no país, principalmente na Bósnia.

ESLOVÊNIA, MACEDÔNIA E CROÁCIA

As primeiras nações a saírem do domínio de Belgrado foram a Eslovênia, a Macedônia e a Croácia, entre 1991 e 1993. Além das questões étnicas, Eslovênia e Croácia, países com maioria católica, após o fim da URSS, desejavam voltarem-se para o mundo ocidental, o que se tornaria impossível sobre domínio iugoslavo. Dentre estas nações, foi a separação de Croácia que mais trouxe disputas, enquanto as outras foram relativamente mais calmas. Isto ocorreu por conta da grande concentração de sérvios (cerca de 12%) na Croácia que não queriam perder a nacionalidade iugoslava. A separação, porém, ocorreu ainda assim.

GUERRA DA BÓSNIA

Foi na Bósnia e Herzegóvina onde ocorreu o mais sangrento conflito pela desanexação da Iugoslávia. Localizada na porção central dos Bálcãs, a população bósnia era relativamente heterogênea, com cerca de 44% de cidadãos bósnios-muçulmanos e 31% de cidadãos de etnia sérvia. Ao tentar declarar sua independência, os bósnios foram duramente combatidos pela tropas de Belgrado, sob ordens de Slobodan Milosevic, que reavivava o sentimento de criação da Grande Sérvia, sustentado desde a independência do Império Otomano.
Slobodan Milosevic
Milosevic defendia uma limpeza étnica na região, com a expulsão dos bósnios-muçulmanos, considerados como uma etnia inferior aos sérvios. A Guerra da Bósnia (1992-1995) terminou apenas com a intromissão da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que ameaçava entrar na guerra a favor dos bósnios, o que provocou o fim do conflito. A Croácia, que também mantinha interesses expansionistas sobre a Bósnia, assinou um acordo com a Sérvia, dividindo a república bósnia em dois grandes blocos pelo Acordo de Dayton: um sérvio e outro bósnio-croata.

A VEZ DE KOSOVO

O último grande conflito que resultou em desanexação ao território iugoslavo ocorreu em Kosovo. O ELK (Exército pela Libertação de Kosovo) liderou uma série de ataques ao governo central sérvio. Em contrapartida, as forças de Slobodan Milosevic agiram duramente, reprimindo os separatistas, dando origem a Guerra do Kosovo.


Kosovo é uma nação localizada no sul dos Bálcãs de etnia albanesa. A Guerra do Kosovo deixou mais de 4.000 mortos e várias acusações de torturas e outras atrocidades por parte do exército iugoslavo. Após um bombardeio de cerca de 80 dias contra as cidades iugoslavas por parte da OTAN, os sérvios se renderam. Atualmente, cerca de 40% dos países membros da ONU reconhecem Kosovo como país independente, entre eles os EUA. O Brasil faz parte do grupo que não reconhece a república kosovar.

A partir deste ponto, deixa de existir uma Iugoslávia. Sérvia e Montenegro passa a ser o nome do país constituído pelas duas nações que restaram da antiga confederação. Nestes países, existia um sistema de semi-independência: existiam dois presidentes e duas administrações diferentes, apenas as decisões em relação à defesa de fronteiras era conjunta.

SLOBODAN E A INDEPENDÊNCIA MONTENEGRINA

Slobodan Milosevic, após manifestações populares, deixa o poder na Sérvia. Em 2001, ele é preso e condenado pela TPII (Tribunal Penal Internacional para a Iugoslávia) em Haia, na Holanda. Faleceu em 2006 na prisão.

Também em 2006, em um plebiscito, 55% da população montenegrina desejou separar-se da Sérvia. Com esta última divisão, temos e dissolução completa de cada uma das nações que compunham a antiga Iugoslávia. Hoje, a região é considerada atrasada economicamente e tem sérios problemas sociais. Eslovênia e Croácia são as nações que apresentam os melhores índices sócio-econômicos dos Bálcãs.

Leia mais sobre os conflitos étnicos-separatistas espalhados pelo mundo:

I – Bálcãs (Você está lendo)
II – Cáucaso
III – País Basco
IV - Irlanda
Exercícios

1 - Aculturação: Processo em que uma cultura, em contato com outra, acaba perdendo sua identidade.

Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »