Classificação climática brasileira

Os estudos sobre classificações climáticas têm sido alvo de pesquisas de muitos geógrafos nas últimas décadas. Porém, classificar e ordenar tipos de climas em categorias preestabelecidas é um trabalho bastante complicado, muito devido às peculiaridades de fatores como os regimes de chuvas e os ventos de uma região para outra.

Foi pensando em resolver estes problemas que o geofísico indiano Arthur Strähler criou uma classificação climática referente à atuação das massas de ar ao redor do globo. Por conta de seu fácil entendimento, esta classificação é a mais utilizada dentro dos setores pedagógicos no Brasil.

Em território nacional, foram identificados dois grandes grupos climáticos: um influenciado pelas massas de ar equatoriais, outro, pelas massas de ar polares, sendo as massas tropicais influentes em todos os climas. Vejamos o detalhamento desta classificação abaixo.
Pela classificação de Strähler, o Brasil tem seis tipos climáticos diferentes

Climas influenciados por massas de ar equatoriais

Clima litorâneo úmido

Este clima é controlado principalmente pela Massa tropical atlântica (mTa) e ocorre no litoral entre os estados do Rio Grande do Norte e São Paulo. Geralmente apresenta um clima quente, com pouca amplitude térmica¹ e com altos índices pluviométricos entre os meses de abril e julho. É comum a incidência de chuvas frontais (com o encontro da mTa com a mPa) e de chuvas orográficas, com o encontro das massas de ar com as elevações da região.

Clima equatorial úmido ou tropical equatorial

O clima equatorial úmido ocorre na região amazônica, sendo influenciado principalmente pela massa equatorial continental (mEc). Tem temperaturas elevadas e altos índices de chuvas. As temperaturas costumam variar pouco, sendo concentradas entre 25º e 28º. A exceção é quando ocorre o fenômeno da friagem, em que a massa polar atlântica (mPa) chega na região e derruba os termômetros para temperaturas que chegam a 10º.

Clima tropical continental ou tropical típico

É o clima predominante no Brasil Central, englobando estados também das regiões nordeste e sudeste. Apresenta temperaturas elevadas e uma alternância entre o clima seco e úmido.


Isto ocorre por conta da atuação de quatro massas de ar distintas: a equatorial continental (mEc), a tropical continental (mTc), a tropical atlântica (mTa) e a polar atlântica (mPa). Durante o verão, temos a atuação da mEc e da mTa, massas de ar úmidas. Portanto, o verão é bastante chuvoso. Já durante o inverno, temos a ação da mPa e da mTc, essa última em maior intensidade. Embora a mPa seja uma massa úmida, o inverno nas regiões controladas por este clima costumam ser secos.

Clima tropical semiárido

Localizado em uma faixa do sertão nordestino, o clima tropical semiárido é considerado o mais seco do país. Sua ocorrência está condicionada pela atuação da massa tropical atlântica (mTa). Embora seja uma massa de ar úmida, quando a mTa chega na região, já perdeu sua umidade pelo encontro com as elevações nordestinas, visto que o sertão localiza-se em uma depressão.

Estas mesmas barreiras impedem a atuação da massa equatorial continental (mEc). Outra forte característica do clima é sua irregularidade.

Climas influenciados por massas de ar polares

Clima tropical de altitude

O principal diferencial deste tipo de clima está na altitude. Este fator determina um clima mais frio durante o ano se comparado ao tropical continental. Podemos encontrar este tipo climático em uma mancha que se estende de Minas Gerais até São Paulo.

As chuvas são concentradas no verão, onde o clima é influenciado pela massa tropical atlântica (mTa). No inverno, é forte a influência da massa polar atlântica (mPa), que provoca geadas em diversas cidades.

Clima subtropical úmido

É o clima típico da região sul do país. Apresenta influência da mTa durante o verão e da mPa durante o inverno. É o segundo clima mais úmido do país, atrás apenas do equatorial úmido.

Tem chuvas bem distribuídas durante o ano e raramente apresenta secas. Nas regiões mais elevadas, como nas serras gaúcha e catarinense, é comum a ocorrência de geada e granizo. Em alguns anos, ocorre também a incidência de neve.

¹ Variação das temperaturas dentro de um espaço de tempo



Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »