Uma outra América do Sul: Suriname, Guiana e Guiana Francesa

Vista de Caiena, capital da Guiana Francesa.

Vista de Caiena, capital da Guiana Francesa. Por Didwin973 — Travail personnel, CC BY-SA 3.0.

Suriname, Guiana e Guiana Francesa são três países¹ localizados na porção norte da América do Sul, constituindo um grande contraste com o restante do continente.

De certa forma, podemos afirmar que os países do continente sul-americano apresentam uma certa unidade dos pontos de vista cultural, econômico e social. Foram colonizados por países ibéricos, falam os idiomas desta mesma região (espanhol e português), têm maioria cristã, são considerados sub-desenvolvidos ou emergentes e se relacionam intimamente entre si do ponto de vista econômico e comercial através de blocos e acordos. Porém, Guiana, Guiana Francesa e Suriname destoam totalmente desta realidade.

Colonização distinta

Tais diferenças, em primeira instância, podem ser filiadas ao processo colonizatório distinto que esta região teve em relação ao restante do continente.

Colonização da América do Sul no início do Século XX.

Colonização europeia na América do Sul

Conforme pode ser visto na imagem acima, enquanto que Espanha e Portugal colonizavam grandes extensões do continente, Holanda (Dutch), Inglaterra (UK) e França (France) faziam este processo em pequenas porções de terras voltadas para o Mar do Caribe, onde estes três países subjugavam outras colônias.

O Suriname, até 1815, foi colonizado por ingleses, quando então a Holanda consolidou seu domínio sobre o território. A Guiana passou por um processo contrário: até 1814 esteve sob o domínio neerlandês, quando então foi anexada ao domínio inglês. Já a Guiana Francesa foi colonizada pela França e hoje é um departamento ultramarino da mesma, sendo parte da União Europeia.

Levando em conta a força do processo histórico na formação e alteração da realidade espacial, podemos entender a gênese do isolamento destas regiões. Enquanto os países ibéricos forjavam, em suas colônias, modelos de colonização interligados entre si (destaca-se aqui a relação íntima entre as coroas portuguesa e espanhola), os territórios colonizados por holandeses, ingleses e franceses constituíram núcleos de exploração isolados do restante do continente e mais integrados às colônias caribenhas.

Idioma e religião

Com o diferente contexto colonizatório, obviamente estas três nações terão diferenças quanto ao idioma em relação aos outros países da América do Sul. A Guiana fala inglês, o Suriname fala holandês e a Guiana Francesa tem como idioma oficial o francês.

É interessante notar que a influência holandesa e inglesa na região durante muitos séculos levou a migração de muitos indianos e indonésios para, especialmente, Suriname e Guiana. Hoje, estas etnias constituem uma parcela muito importante da população destes dois países, o que pode ser visto no gráfico abaixo, que mostra que, no caso surinamita, 27% da população segue o hinduísmo (religião popular na Índia), enquanto que 20% segue o islamismo (religião popular na Indonésia).

Na Guiana:

Religiões na Guiana

Os idiomas hindi e indonésio são também difundidos nestes dois países.

Templo Hindu Arya Dewaker, no Suriname

Templo Hindu Arya Dewaker, em Paramaribo, capital do Suriname. Por Freek L. Bakker – Own work, CC BY-SA 3.0.

Providente Stadium, construído para a Copa do Mundo de Críquete, em Guiana.

Providence Stadium, construído para a Copa do Mundo de Críquete, em Guiana. O críquete é um esporte muito popular também na Índia. Por FrWaters em Wikipédia em inglês, CC BY 2.5.

Acordos: a proximidade com o Caribe e com a Europa

Que os países da América do Sul se articulam em blocos econômicos e fazem diversos acordos comerciais não é uma novidade. Um exemplo pode ser o Mercosul, ou a Comunidade Andina. Porém, Suriname, Guiana e Guiana Francesa não fazem parte de nenhum destes acordos (excetuando a UNASUL, que tem Suriname e Guiana como membros). Ao contrário: suas articulações econômicas ocorrem com o Caribe e com a Europa.

Suriname e Guiana fazem parte da CARICOM (Comunidade do Caribe), junto com outros países como Jamaica e Haiti (nota-se aqui a influência do contexto colonizatório). A Guiana faz parte, ainda, assim como Canadá, Austrália e Nova Zelândia, do commonwealth.

A Guiana Francesa faz parte da União Europeia, usando inclusive o euro como moeda.

Outras diferenças

As cidades destes países, em geral, são pouco populosas. Georgetown, capital da Guiana, é a maior, com cerca de 300 mil habitantes, seguido por Paramaribo (Suriname), com 250 mil e Caiena, com pouco mais de 60 mil. Ao todo, a Guiana tem uma população de apenas 950 mil habitantes, o Suriname de 560 mil e a Guiana Francesa de 222 mil habitantes.

Os dados sociais têm destaque na Guiana Francesa, com um IDH elevado de 0,817 (2015). Suriname e Guiana tem IDH’s de 0,714 (2015) e 0,638, respectivamente.

Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa

Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Por DLR German Aerospace Center – “Albert Einstein” – Start 3, CC BY 2.0.

Economicamente, todas tem o setor primário como o principal. No Suriname, por exemplo, temos como destaque a extração de bauxita. Na Guiana Francesa, além deste mineral, é destaque também a pesca. O Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, construído pela Agência Espacial Europeia, também tem impulsionado a economia regional, principalmente por trazer tecnologia de ponta para o país. A moeda dos guianenses é o Dólar, do Suriname é o Florim e a da Guiana Francesa, o euro.

¹ Guiana Francesa é um departamento ultramarino francês, mas, para simplificar, vamos utilizar vulgarmente o termo país ou nação neste texto

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

6 Comments

  1. CUSTODIO Reply

    muito bom , durante o tempo em que eu estava discorrendo sobre esta leitura sobre os país europeus , da guiana ,suri mane, e GUIANA FRANCESA, HAVIA MUITA COISA QUE EU AINDA NÃO SABIA.. CONTINUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *