Marrocos: Características gerais, relevo, clima e hidrografia

Características Gerais

Bandeira do Marrocos.
Bandeira do Marrocos.

Capital: Rabat;
Área: 446,5 mil km²;
Moeda: Dirrã;
População: 35 milhões de habitantes (2019);
Densidade Demográfica: 73 hab./km²;
PIB: 103 bilhões (nominal);
Idioma: Árabe e Berbere.

Relevo

O relevo marroquino é, em geral, elevado, com uma média de altitude de cerca de 800 metros.

Duas cadeias de montanhas destacam-se na paisagem do país. No extremo norte, temos as Montanhas Rif, que segue a costa mediterrânea do Marrocos.

É uma continuidade do Sistema Bético, terras altas encontradas na península Ibérica, que há 3 milhões de anos estava ao território marroquino ligado.

As Montanhas Rif atingem seu cume no Monte Tidirhine, com 2.450 metros.

Relevo do Marrocos.
Relevo do Marrocos.

A Cordilheira do Atlas é a principal cadeia de montanhas do país, rasgando o território nacional em seu centro. É composta por três estruturas principais.

A principal delas é o Alto Atlas, que inicia-se na costa atlântica do país e segue a leste com leve inclinação ao norte. É onde encontramos as maiores altitudes do país, que facilmente ultrapassam os 2.000 metros. O ponto mais alto do Marrocos fica nesta cordilheira: é o Monte Toubkal, com 4.165 metros.

O Médio Atlas tem altitudes um pouco menores, chegando a 3.300 metros. Parte do centro do Alto Atlas e segue em sentido nordeste.

Já o Anti-Atlas segue ao sul mais ou menos paralelo ao Alto Atlas e chega até o Atlântico. Entre as duas cadeias de montanhas, temos o abrupto vale do Rio Suz.

Mas não apenas de montanhas que é constituído o território marroquino.

Entre o Médio Atlas e as Montanhas Rif, temos o vale de Taza, que permite a ligação entre leste e oeste do país. É onde corta, inclusive, uma importante rodovia, que liga Rabat a Oujda.

Seguindo a leste, a partir de Taza, temos como destaque a Bacia do Rio Moulouya, marcada pela aridez e por ser o limite noroeste do Saara. Já na fronteira com a Argélia, sobem terras elevadas, conhecidas como Alto Planalto, chegando a 1.300 metros.

À oeste do Médio Atlas e ao sul das Montanhas Rif, encontramos a planície aluvial do Rio Cebu, importante área fértil do país.

No Centro-Oeste do país, ao sul do vale do Rio Cebu, temos uma sequência de terras altas conhecidas como Planalto Marroquino.

Clima

O Marrocos é um país bastante diverso do ponto de vista climático. O norte do país, em geral, apresenta um clima mediterrâneo, muito similar do sul da península Ibérica.

Conforme classificação climática de Koppen, este é o clima Csa, clima meditarrâneo quente.

Climas do Marrocos conforme classificação climática de Koppen.
Climas do Marrocos conforme classificação climática de Koppen. Ali Zafan.

Apesar disso, a costa atlântica do Marrocos apresenta temperaturas moderadas, mesmo no verão, por conta da influência da Corrente das Canárias.

Nas cidades costeiras do norte do país, as temperatruas variam de 18 a 28°C no verão. Todavia, entre a primavera e o verão, um vento quente proveniente do Saara – sharqī – pode atravessar as montanhas e elevar as temperaturas das planícies para acima de 40°C.

No inverno, o efeito da maritimidade faz com que as cidades litorâneas tenham temperaturas mais amenas, entre 8 e 17°C.

Nas terras baixas do interior do país, a sudeste do Atlas, porém, a situação é bem diferente. No verão, a temperatura média é de 35°C, enquanto no inverno podem registrar valores abaixo de zero.

A pluviosidade também varia bastante conforme latitude e altitude.

Nas planícies costeiras do norte do país, a média de chuvas é de 800 mm na altura do vale do Cebu, chegando a 200 mm no vale do Suz, mais ao sul. No extremo-sul, tem-se um cenário de profunda aridez.

As montanhas do Atlas criam uma importante sombra sobre as áreas ao sul, impedindo as nuvens de chuva de chegarem lá.

Conforme as altitudes aumentam, os índices pluviométricos também são maiores. Nas Montanhas Rif, por exemplo, chove 2.030 mm ao ano, enquanto que no Alto Atlas – mais ao sul, onde os índices pluviométricos em geral são menores – chove 760 mm.

Hidrografia

A organização espacial das montanhas no Marrocos marcam o modo como os rios correm pelo território. Por receberem nuvens de chuva carregadas, é na encosta noroeste do Atlas onde nascem os principais rios perenes marroquinos, desembocando no Oceano Atlântico.

O rio Cebu é o com maior volume de águas no país. Nasce no Médio Atlas, seguindo a norte até a altura de Fez e depois para oeste, desembocando em Mehdiya.

Rio Cebu, principal do Marrocos.
Rio Cebu, principal do Marrocos. Sting.

Tem 450 km de extensão e drena uma importante área agrícola do país, onde se produz azeitona, arroz, trigo, beterraba, uva e frutas cítricas. Na bacia hidrográfica ainda localiza-se a hidrelétrica de El-Kansera.

Na foz do rio localiza-se o importante porto de Kenitra.

Na faixa noroeste do Atlas Central nasce o rio Moulouya, único dos importantes rios do país que desagua no Mar Mediterrâneo. Tem 515 km de extensão.

Bacia do Rio Moulouya.
Bacia do Rio Moulouya. Tekken, Kropp (2012).

O maior rio marroquino, todavia, é intermitente e nasce na face sudeste do Alto Atlas. O Rio Drá tem 1.100 km de extensão a corre a sul até tangenciar a fronteira com a Argélia. Desemboca no Atlântico.

Rio Drá.
Rio Drá. OpenStreetMaps.

A fachada leste do Atlas ainda drena alguns córregos que fluem para o Saara, como o Guir, o Rheris e o Ziz.

A fachada norte das Montanhas Rif também drenam alguns córregos curtos que desaguram no Mediterrâneo.

Fernando Soares de Jesus

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *