Fontes de Energia Não-Renováveis: Petróleo, Carvão Mineral e Gás Natural

As fontes de energia são fundamentais para o funcionamento do modo de produção atual. É a partir delas que podemos obter energia para o funcionamento de fábricas, para o aquecimento e iluminação de residências ou para a movimentação de veículos, como carros e caminhões.

Atualmente, no mundo, as principais fontes de energia são aquelas não-renováveis. Energia não renováveis são aquelas que não são capazes de ser renovadas dentro do tempo biológico. Isto quer dizer que se uma jazida se esgota, a única maneira de manter a oferta energética é explorando outra.

Existem três principais fontes de energia não-renováveis no mundo, conhecidas também como fontes de energia fósseis: o petróleo, o carvão mineral e o gás natural.

Petróleo

O petróleo é a principal fonte energética do mundo atual. Corresponde a 32% da matriz energética mundial.

Formação

O petróleo é de origem orgânica e teve sua formação no Mesozóico, há 65 milhões de anos.

Formou-se nos oceanos, onde o esqueleto de animais mortos e de plantas acumularam-se no assoalho marinho. Em seguida, houve um processo de sedimentação, que encobriu estes restos orgânicos. Assim, bactérias anaeróbicas (que não respiram oxigênio) passam a decompor aquele material e, associado a condições de temperatura e pressão, formam o petróleo.

Processo de formação do petróleo
Processo de formação do petróleo

Através dos movimentos da crosta terrestre, o petróleo formado pode ser levado para regiões diferentes daquela onde se formou. Assim, o petroléo é levado para rochas porosas, onde é armazenado, formando jazidas.

Refino

O petróleo, após ser extraído, necessita de um processo de refino para ser comercializado. É através do refino que são gerados os derivados do petróleo, como o óleo diesel, o GLP e o querosene.

O refino ocorre em locais conhecidos como refinarias.

Nestes locais, o petróleo bruto é colocado em uma coluna de fracionamento, onde é aquecido, vaporizado e liquefeito, gerando seus derivados em cada porção da coluna.

Coluna de fracionamento
Coluna de fracionamento

Indo das porções mais baixas para as mais altas, o petróleo é transformado em: asfalto, óleo lubrificante, óleo combustível, querosene, gasolina e GLP. A qualidade do petróleo pode ser definida pela capacidade de gerar o maior número de derivados no fracionamento.

Produção e consumo

O petróleo é caracterizado pela concentração em sua produção e localização das jazidas e pela concentração no seu consumo.

O país que detém as maiores jazidas de petróleo é a Venezuela. Ainda na América, jazidas importantes são encontradas no México, especialmente no Golfo do México, e no Canadá.

Jazidas petrolíferas no mundo, por país
Jazidas petrolíferas no mundo, por país

Na Eufrásia, jazidas importantes são encontradas na China, Rússia, Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque, Kuwait, entre outros), na Nigéria e na Líbia.

Todavia, quando analisamos a produção, o cenário é diferente. O maior produtor de petróleo do mundo são os EUA, seguidos da Rússia e da Arábia Saudita. A Venezuela está apenas na 12º posição.

Consumo de petróleo no mundo, por país
Consumo de petróleo no mundo, por país

Já o consumo é principalmente feito nos países desenvolvidos. Estes países importam petróleo dos países produtores. Destaque para EUA, Europa, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia.

Petróleo e Geopolítica

O fato do petróleo ser a fonte energética mais importante do mundo, associado às jazidas estarem localizadas de maneira muito desigual, acaba por determinar questões geopolíticas de relevo.

Até os anos 1960, a produção mundial de petróleo era controlada por sete empresas, todas elas europeias ou americanas: Exxon, Mobil, Texaco, Amoco, Shell, BP e Chevron. Conhecidas como “sete irmãs”, este cartel comandava a oferta do petróleo, controlando seu preço mundial.

Todavia, os governos de países produtores de petróleo, para se opor e rivalizar com as sete irmãs, criaram a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), que passaram, a partir dos anos 1970, a estabelecer cotas de produção, controlando a demanda e os preços.

Uma data é particularmente relevante nesta década. No ano de 1973 ocorreu o choque do petróleo, quando os países da OPEP decidiram, propositalmente, aumentar bruscamente o preço do petróleo, causando uma crise mundial com impacto por muitos anos.

Este aumento foi decorrente do apoio dos EUA a Israel na Guerra de Yom-Kippur. Como boa parte dos países da OPEP são árabes, o choque foi uma resposta à ofensiva militar americana. Este fato demonstrou a força política da OPEP.

Este fato incentivou os países desenvolvidos a buscarem alternativas na produção do petróleo. Nos EUA, este resposta veio pela exploração do gás de xisto.

Carvão

O carvão foi a primeira fonte de energia utilizada para fins de industrialização. Foi a principal fonte energética da Primeira Revolução Industrial e compunha a maior parte da matriz elétrica mundial até a Segunda Revolução Industrial.

Ainda hoje, a importância do carvão é inegável: é a principal fonte da matriz elétrica energética mundial, sendo utilizada em usinas termelétricas.

Formação

Assim como o petróleo, o carvão é tem origem orgânica. Foi formado há 250 milhões de anos, especialmente durante o carbonífero, na era Paleozoica.

A formação do carvão necessita de duas condições básicas: a existência de uma cobertura vegetal densa e a inundação desta por água. Ambientes pantanosos foram, inclusive, os que mais propiciaram a formação de jazidas carboníferas.

Processo de formação do carvão mineral
Processo de formação do carvão mineral

Estas florestas, então, foram sepultadas por processos de sedimentação. Com a ação da temperatura e da pressão, formaram-se rochas com alto teor de carbono, o carvão.

Tipos de carvão

Na prática, carvão é o nome genérico que damos a rochas com elevado teor de carbono. A depender da quantidade de carbono existente na rocha, podemos classificá-las em quatro tipos principais, daquele com maior concentração de carbono para o com menor: antracito, hulha, linhito e turfa.

A existência do carbono irá definir o poder calorífero da rocha, tendo em vista que são nas ligações entre moléculas de carbono que obtemos energia. Assim, o antracito, por exemplo, é o tipo de carvão com mais capacidade energética, enquanto a turfa tem a menor capacidade.

Apesar de ser, teoricamente, o melhor tipo de carvão, o antracito é pouco encontrado em jazidas. A maior parte das reservas mundiais são de hulha.

Aplicações

Quando o assunto é fonte de energia, o carvão encontra sua principal aplicação nas termelétricas. A queima do carvão é responsável pelo aquecimento de tambores de água. Esses, quando aquecidos, geram vapor, que, por sua vez, girarão uma turbina. Um gerador, ligado a turbina, transformará a energica cinética do movimento das hélices em energia elétrica.

Além disso, o carvão tem usos como matéria-prima na indústria. Nas siderurgias, por exemplo, indústrias de fabricação de aço, o carvão é usado em reação química com o minério de ferro, de modo a obter o ferro metálico.

O carvão ainda é utilizado na indústria química.

Todavia, em todas estas aplicações, o uso do carvão envolve o lançamento de CO2 à atmosfera, principal gás responsável pelo efeito estufa. Logo, o carvão mineral é uma fonte energética muito poluente.

Além disso, do ponto de vista econômico, o carvão é menos interessante que o petróleo, tendo em vista que seu transporte é mais caro.

Gás Natural

O gás natural é um combustível fóssil formado de maneira associada ao petróleo. Suas jazidas, logo, geralmente estão juntas com jazidas petrolíferas.

O gás natural tem ganhado atenção nos últimos anos e países como o Brasil tem apostado nele para diversificar a matriz energética nacional. A construção do gasoduto Brasil-Bolívia, por exemplo, fez parte de um planejamento de aumentar o uso desta fonte no país.

Um fator positivo para o uso de gás natural é o fato dele ser menos poluente que o carvão mineral e que o petróleo. Tem a principal aplicação nas termelétricas, onde é um bom substituto do óleo diesel e do carvão.

Todavia, seu transporte é mais difícil. Por ser um gás, levá-lo de um lado a outro depente da construção de dutos com quilômetros de extensão: os chamados gasodutos.

Gasoduto
Gasoduto

Na Europa, países como Espanha, Itália e Alemanha recebem gás natural por extensos gasodutos que vêm da Rússia, maior produtor mundial. Países Ásia Central e Oriente Médio também destacam-se na produção desta fonte energética.

Fernando Soares de Jesus

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *