Marés: o que são e como se formam?

As marés são um importante fenômeno oceanográfico, consistindo, basicamente, em uma variação periódica no nível dos oceanos. Neste artigo, discorreremos um pouco acerca das causas de sua formação.

Isaac Newton, em 1687, já tentava entender como as marés eram formadas. Para chegar em seu objetivo, ele imaginou um planeta sem continentes, coberto com um oceano uniforme e de mesma profundidade, sofrendo o trabalho da gravidade da Lua e do Sol.

A Lua, com sua força de atração gravitacional, atrairia as águas oceânicas deste planeta imaginário da face para ela voltada, como pode ser visto na figura abaixo, formando uma espécie de bulbo.

Buldo de maré causado por atração gravitacional da Lua. Modelo desconsidera a inclinação da órbita na lua.

Porém, este não é o único efeito da atração lunar. Lua e Terra rotacionam no espaço como um corpo único, formando um sistema que gira em torno de um centro de massa. Este centro de massa fica entre o centro e a superfície da Terra.

Com a rotação em torno deste centro, há o aparecimento de uma força, conhecida na física como força centrífuga. Esta força pode ser sentida quando um motorista, dirigindo um veículo, passa por uma curva e sente ser empurrado para fora dela.

O mesmo acontece com o oceano localizado na face externa do sistema Terra-Lua: este é empurrado para fora dele, formando um bulbo contrário ao bulbo formado pela atração da Lua.

Além da Lua, o Sol é outro elemento importante na definição das marés. Apesar de ser muito maior, o Sol tem um efeito 2 vezes menor que a Lua nas marés terrestres, por conta de sua distância.

De maneira simplificada, o efeito do Sol sobre as maré é cumulativo ao efeito da Lua. Sua definição mais acurada vai depender da fase da Lua. A partir disto, diferenciamos as marés em dois tipos:

  • Marés de Sizígia: ocorre em Luas Cheias e Novas, quando há um alinhamento entre Terra, Lua e Sol e os efeitos de Lua e Sol sobre as marés são somados;
  • Marés de Quadratura: ocorre em Luas Minguantes e Crescentes, quando Terra, Lua e Sol formam um ângulo reto e os efeitos de Lua e Sol sobre as marés não são somados.

Caso você não saiba o mecanismo de funcionamento de fases da Lua, recomendados a leitura do nosso artigo sobre o assunto:

As fases da Lua

Quando há um alinhamento Terra-Lua-Sol (Luas Nova e Cheia), ocorre a maré alta. Quando ocorre a formação de um ângulo reto entre Terra, Lua e Sol (Luas Crescente e Minguante), ocorre a maré baixa.

Este modelo newtoniano, porém, não pode ser concebido como elucidador de todas as questões acerca das marés na Terra. Isto se explica porque algumas características do nosso planeta fazem a lógica das marés diferir bastante do modelo da Teoria do Equilíbrio.

Dentre estas características, destacam-se a rotação da Terra, que dificulta a formação dos bulbos lunar e solar, e a geometria dos continentes, que barram seu espalhamento superficial.

Para entender melhor este processo de formação das marés, recomendamos este didático vídeo da WebTV:

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *