China: A política do filho único


Um dos principais problemas sociais da China é sua alta população, que hoje atinge mais de 1 bilhão e trezentos mil habitantes, sendo o pais mais populoso do mundo. Esta grande população é vista pelo governo do país como ruim, já que impede que a maior parte da população tenha acesso "a um sistema de saúde e educação de qualidade".

Foi pensando nisso que, em meados dos anos 70, o governo chinês cria a chamada Política do Filho Único, que tinha por objetivo frear o crescimento da população no país.

Medidas

As medidas tomadas eram a seguintes:

- Nas cidades, nenhum casal poderia ter mais que um filho, caso isso acontecesse, o Estado teria o direito de cobrar duras multas ao pai e a mãe do bebê, além de que o governo não iria ter qualquer obrigação legal com o segundo filho.

- No campo, o casal teria direito a ter dois filhos, mas isto caso o primeiro fosse mulher.

Lado positivo

Alguns estudos dizem que, caso a lei não fosse aplicada, hoje a população chinesa teria crescido em cerca de 400 milhões de habitantes.


Caso o aumento da população fosse esta mesmo, a população chinesa estaria hoje próximo do patamar de 2 bilhões, o que agravaria o problema da super população do país, ficando mais difícil o acréscimo total dos habitantes a níveis sociais maiores.

Lado negativo

Se por um lado, a política do filho único ajudou diminuir o crescimento demográfico, por outro, trouxe sérios problemas sociais ao país.

Primeiramente, temos o aumento de casos de abandono e aborto, já que, principalmente no caso de crianças do sexo feminino, os pais optam por não ter seu único filho sendo mulher, já que o homem, na cultura chinesa, é responsável por coisas exclusivas como o auxílio aos pais na velhice e o comando de uma família.

Além disso, com a diminuição da taxa de natalidade, há um aumento da população idosa no país e, com isso, há também uma queda na população economicamente ativa.

Recente abrandamento na lei

Recentemente, o governo chinês anunciou uma possível suavização na lei do filho único. Segundo o divulgado, os pais que forem filhos únicos poderão optar por ter dois filhos sem ter que pagar qualquer multa por isso.

Na verdade essa mudança vem de um reflexo que desde muito tempo tenta mudar a atual situação do controle de natalidade na China. Isto já vinha sendo observado desde que o governo do país liberou que as mães que tiveram os filhos vítimas do terremoto de Sichuan, em 2008, pudessem ter mais um filho.

Fontes: Info Escola, GeoProfessora e Portal Terra





Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »