Tipos de dunas: barcanas, parabólicas, estrela, transversais e longitudinais

Dunas são registros deposicionais resultados do transporte e da deposição de partículas pelo vento.

Leia mais sobre erosão

Dependendo da sua morfologia, as dunas podem ser classificadas em algumas categorias. São elas: dunas barcanas, parabólicas, estrela, transversais e longitudinais.

Cada categoria revela aspectos acerca da velocidade e direção do vento na área de formação da duna, sobre a quantidade de areia disponível no local e sobre as características da superfície percorrida pelas partículas.

Dunas barcanas

Dunas barcanas ocorrem em ambiente com estoque limitado de areia e ventos moderados e em direção única.

Tem uma forma de meia-lua, com as dobras voltadas para o mesmo sentido do vento. Raramente formam campos com grande extensão, embora comumente sejam encontradas em conjunto.

Croqui de uma duna barcana

Croqui de uma duna barcana

No Brasil, são raras. Porém, um tipo de formação similar, chamada de cadeias barcanoides, podem ser encontradas, geralmente no litoral. Nestas áreas, a vegetação impede um fornecimento elevado de areia, facilitando o aparecimento destas formações.

Dunas parabólicas

Morfologicamente, são similares às barcanas. Se diferenciam destas últimas por apresentarem extremidades mais fechadas. Além disso, tais prolongamentos ocorrem em sentido oposto ao vento, enquanto que nas barcanas ocorrem no mesmo sentido.

Croqui de uma duna parabólica

Croqui de uma duna parabólica

São encontradas em áreas com ventos fortes e constantes e com um estoque de areia disponível razoavelmente elevado.

Dunas estrela

São dunas de ocorrência em locais mais restritos, como grandes desertos.

Dependem da existência de uma grande quantidade de areia e de ventos fortes, constantes e que mudam de direção de tempos em tempos.

Pela mudança de direção dos ventos, estas dunas apresentam prolongamentos em sentidos variados, lembrando uma estrela.

Croqui de uma duna estrela

Croqui de uma duna estrela

Dunas transversais

Dunas transversais são formadas em ambientes de estoque abundante de areia e de ventos constantes e unidirecionais.

Em ambientes litorâneos, podem formar lagos de água doce, como os que ocorrem no Nordeste do Brasil, enquanto que em desertos, foram mares de areia.

Morfologicamente, se estruturam em direção perpendicular ao vento.

Croqui de uma duna transversal

Croqui de uma duna transversal

Dunas longitudinais

São dunas que ocorrem em ambientes com estoque de areia e velocidade de vento similares aos das dunas estrela, porém com ventos unidirecionais.

São comuns em grandes desertos. Na Arábia Saudita, são conhecidas como seif.

Se estruturam paralelamente aos ventos e podem atingir dezenas de quilômetros de comprimento.

Croqui de uma duna longitudinal

Croqui de uma duna longitudinal

Referência

TEIXEIRA, Wilson. Decifrando a Terra. 2. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009. 623 p. ISBN 9788504014396.

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

One Ping

  1. Pingback: Transporte de partículas: Suspensão, saltação e arrasto - Geografia Opinativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *