Rochas magmáticas, sedimentares e metamórficas

As rochas são comumente classificadas de acordo com o modo de formação na natureza. Se diferenciam em magmáticas, sedimentares e metamórficas.

Rochas magmáticas

As rochas magmáticas, também conhecidas como rochas ígneas, são formadas a partir do resfriamento do magma, material fundido rochoso que compõe as camadas interiores da Terra.

Se diferenciam pelo local de resfriamento. Se o resfriamento ocorrer em superfície, a rocha é classificada como extrusiva, ou vulcânica, se ocorrer ainda dentro da litosfera, é classificada como intrusiva, ou plutônica.

O local de resfriamento irá definir traços importantes da textura da rocha. No caso de rochas extrusivas, o resfriamento será muito rápido, impedindo a formação de cristais de grande tamanho. Assim, rochas deste tipo tendem a ter uma granulação fina. A rocha extrusiva mais comum é o basalto.

Basalto
Basalto. Cristais invisíveis a olho nu.

Já no caso de rochas que resfriam no interior da Terra, o processo de resfriamento é muito mais lento. Assim, os cristais têm tempo suficiente para se agruparem, ficando em tamanho muito maior que no caso das rochas extrusivas, alguns atingindo até alguns centímetros. O granito é exemplo muito comum de rocha intrusiva.

Granito. Minerais visíveis a olho nu. CC BY-SA 2.5 es, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=1734934.

São rochas resistentes e maciças, possibilitando diversos usos econômicos.

Rochas sedimentares

As rochas sedimentares são formadas a partir de um acúmulo e uma posterior cimentação de materiais provenientes de rochas preexistentes. Estas rochas podem ser magmáticas, metamórficas, ou ainda outras rochas sedimentares.

O intemperismo atua em sentido de desagregar o material constituinte da rocha preexistente. Este material, chamado de sedimento, é transportado e depositado, onde constituirá uma rocha sedimentar caso passe por um processo específico de diagênese.

Por sua formação pela acumulação de camadas, podem acumular fósseis.

São divididas em dois tipos básicos: detríticas (ou clásticas), e não-detríticas (ou não-clásticas), que, por sua vez, dividem-se em químicas e orgânicas.

As rochas detríticas ou clásticas são formadas a partir de partículas de rocha preexistentes, os chamados clastos. Em condições de baixa temperatura e pressão, o empilhamento destas partículas forma rochas, geralmente frágeis e porosas.

Dentre as rochas do tipo, citam-se os conglomerados, os siltitos, os arenitos e os argilitos.

As rochas sedimentares químicas são formadas a partir da precipitação de radicais salinos (cloretos, sulfetos, etc.). Estas pequenas partículas, conhecidas como íons, encontram-se dissolvidas na água. Em situações de calmaria, elas afundam e se agrupam no fundo do corpo hídrico, formando a rocha.

É um exemplo o calcário.

Por último, as rochas sedimentares orgânicas são resultado da mistura de materiais orgânicos (árvores, animais mortos, excrementos, etc.), que, com o passar do tempo, são compactados e transformam-se em rochas.

Aqui, podemos citar o carvão.

Rochas metamórficas

As rochas metamórficas são rochas formadas a partir da transformação das condições mineralógicas de uma rocha no estado sólido. Esta transformação é chamada de metamorfismo e é causada pela variação de pressão e temperatura.

É importante aqui salientar que, na formação de uma rocha metamórfica não ocorre fusão. Neste caso, temos a formação novamente de magma, não de outra rocha.

Em geral, o metamorfismo ocorre por duas maneiras.

A primeira é o que se conhece como metamorfismo regional, que ocorre em consequência de eventos geológicos de grande porte, como o choque de placas tectônicas.

O segundo é o metamorfismo de contato. Ocorre em eventos específicos, como na extrusão de diques que é capaz de metamorfizar a porção limítrofe da rocha encaixante.

Em alguns casos específicos, rochas metamórficas podem surgir pelo impacto de meteoritos.

Gnaisse. Reparar foliação (acamadamento) da rocha. Por Siim Sepp.

O mármore é um exemplo de rocha metamórfica. É formada a partir do metamorfismo de um calcário. O gnaisse, por sua vez, é formado a partir do granito.

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *