Como a Lua foi formada?

A Lua é o único satélite natural de grandes dimensões da Terra. Distante 384.400 km do nosso planeta, o corpo celeste guarda grande importância no estabelecimento da vida na Terra, mas também histórico e culturalmente com as civilizações humanas.

Todavia, durante muito tempo eram nebulosas as interpretações acerca da formação da Lua. Atualmente, embora tenhamos uma teoria mais aceita no meio científico, ainda existem outras secundárias que ainda despertam dúvidas.

Teria do Big Splash é a mais aceita, mas ainda não é unanimidade.

Teoria da Co-criação: Terra e Lua surgiram ao mesmo tempo

Uma das teorias mais antigas diz que Terra e Lua foram criadas ao mesmo tempo em um Sistema Solar primitivo.

Antes de se configurar do modo que conhecemos, o Sistema Solar consistia em um grande disco de acreção, disco composto por poeira e gás em torno de um sol em formação.

Aos poucos, estas partículas passaram a se chocar a se agruparem, formando os primeiros proto-planetas. Estes, por conta de sua grande massa, passaram a atrair mais partículas por força da gravidade, aumentando de tamanho.

Portanto, esta teoria defende que tanto Terra quanto Lua nasceram através do agrupamento de partículas do disco de acreção. Como a Terra teve mais êxito em atrair partículas, tornou-se maior e capturou a Lua sob sua órbita.

Todavia, esta Teoria é falha em explicar o movimento angular da Lua no entorno da Terra.

A Lua foi formada a partir da expulsão de material da Terra

Na realidade, existem duas teorias que partem à defesa de que a Lua foi formada a partir da expulsão de uma grande massa de material terrestre. O principal balizamento destas teorias é o fato de que Terra e Lua tem composições químicas semelhantes.

A primeira teoria diz que a Terra, nos primórdios do Sistema Solar, girava com uma velocidade muito mais alta que a atual. Este movimento expulsava continuamente material ao espaço.

Aos poucos, este material foi se solidificando, dando origem à Lua.

A segunda teoria, por sua vez, defende que o fator de expulsão de material da Terra ao espaço não foi um efeito giratório agressivo, mas sim uma sequência de vários impactos de materiais de origem extraterrestre.

Os impactos jogariam grande quantidade de material sólido em órbita que, por sua vez, iam se agrupando até formar um corpo único: a Lua.

A Lua foi capturada pela Terra

Esta teoria, criada anteriormente à descoberta da similaridade entre as composições químicas de Terra e Lua, defende que a Lua foi formada em algum outro canto do sistema solar.

Por algum fenômeno, a Lua teria saído de sua órbita e vagado pelo sistema até ser atraída pela órbita terrestre.

Esta teoria tinha como aporte o fato de Marte ter capturado pequenos corpos que se transformaram em satélites próprios. Todavia, pouco se sabe quais fenômenos teriam tirado a Lua de sua órbita original ou em que condições a Terra conseguiu frear a Lua e inseri-la em sua órbita.

Teoria do Big Splash: um choque com outro planeta teria dado origem à Lua

Esta teoria veio à tona após ganharem força hipóteses que a Terra, em tempos após a formação do Sistema Solar, tinha um planeta gêmeo, Theia, que teria tamanho similar a Marte.

Este planeta teria sido formado a partir do disco de acreção em órbita similar a da Terra. Cerca de 4 bilhões de anos atrás, os dois planetas teriam se chocado. Theia teria entrado em uma órbita caótica, indo em colisão com a Terra.

Este choque teria vaporizado todo o planeta Theia e a superfície da Terra. O material proveniente do choque teria formado uma sinestia, objeto celeste cujo formato se assemelha a uma rosquinha, em elevada velocidade de rotação.

Sinestia, disco de rocha pulverizada formado após a colisão de planetas rochosos. Por: © Simon Lock and Sarah Stewart

Este fenômeno teria misturado os elementos constituintes de ambos os planetas de maneira uniforme. A parte mais externa teria se solidificado e formado a Lua, enquanto a parte interna teria sido acrescida à Terra.

É atualmente a teoria mais aceita.

Existe uma variação menos sofisticada desta teoria. Nela, não ocorreu a formação de uma sinestia. Theia seria constituída por um material mais frágil que a Terra. O choque entre os dois planetas fez com que Theia fosse despedaçada. O que restou dela foi agregada e formou a Lua.

Todavia, esta variação não explica as similaridades entre as composições de Terra e Lua.

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

One Ping

  1. Pingback: De onde vem o brilho da lua? – Geografia Opinativa

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *