Polônia – Características gerais, clima, relevo e hidrografia

Bandeira da Polônia

Características gerais

Capital: Varsóvia;
Área: 312,7 mil km²;
Moeda: Złoty;
População: 38,4 milhões de habitantes (2017);
Densidade Demográfica: 122 hab./km²;
PIB: 1,193 trilhões;
Idioma: Polaco.

Relevo

O relevo da Polônia inclui variadas morfologias, indo desde as planícies do norte até as montanhas dos Cárpatos, passando por áreas planaltinas centrais.

Podemos dividir o relevo polonês em cinco faixas que estendem-se de norte a sul.

Relevo da Polônia
By Captain Blood at english Wikipedia – Own work, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=474497

A primeira compreende a planície costeira, envolvendo mais ou menos a região histórica da Pomerânia. A costa tem um formato regular, formado a partir do derretimento dos glaciares do Mar Báltico e elevação do nível do mar. Esta regularidade só é quebrada na Baía Pomerânia, localizada a oeste, próximo à divisa com a Alemanha, e no Golfo de Gdansk, no litoral central do país.

A segunda inclui as planícies centrais, generalização para o cinturão ao sul da planície costeira que inclui também lagos, colinas e vales. Além de serem a principal área povoada desta partimentação do relevo, os vales ainda dividem esta região em três partes: a Região dos Lagos da Pomerânia, a oeste do rio Vístula e a norte do rio Notec, a Região dos Lagos da Grande Polônia, a oeste do Vístula e ao sul do Notec, e a Região dos Lagos da Masúria, a leste do Vístula.

A terceira corresponde aos planaltos da Pequena Polônia, que envolve as regiões históricas da Silésia e da Cracóvia. Inclui as elevações de Silésia-Cracóvia, a oeste, e as Montanhas Santa Cruz, a leste, esta última chegando aos 600 metros. É uma área rica em minérios, como ferro, zinco, chumbo e carvão, importantes para o estabelecimento de sítios industriais na região.

A quarta inclui as montanhas dos Sudetos, orientadas em sentido noroeste-sudeste, incorporando a fronteira entre Polônia, Alemanha e Rep. Tcheca. O ponto mais alto é o monte Karkonosze, com 1.600 metros. É uma área rica em carvão metalúrgico, o que impulsionou a criação da importante área industrial de Walbrzych.

Por fim, a quinta região inclui a cadeia de montanhas dos Cárpatos, importante cordilheira que atravessa, além da Polônia, Romênia, Ucrânia e Eslovênia. É onde está localizado o ponto mais alto do país, o monte Rysy, com cerca de 2.500 metros de altitude.

Clima

Conforme a Classificação Climática de Koppen, o clima predominante na Polônia é o clima continental úmido com verão fresco (Dfb). É um clima similar ao de boa parte do leste europeu e parte da Alemanha.


Clima da Polônia, conforme classificação climática de Koppen
Por Adam Peterson [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

Na porção oeste, todavia, a configuração climática altera-se para um clima oceânico temperado (Cfb). Por ser um clima de influência oceânica, apresenta-se com menores amplitudes térmicas. É um clima similar ao encontrado na França, Alemanha, Reino Unido e norte da Espanha.

Nas elevações dos Cárpatos, também encontram-se uma minoria de climas sub-ártico e de tundra.

O balanço do clima polonês também é definido pela atuação das diferentes massas de ar que atuam no país. Dentre elas, destacam-se a massa polar da Escandinávia, o ar subtropical proveniente do sul e a massa oceânica de oeste.

Hidrografia

Os rios mais importantes da Polônia são o Oder, que define a divisa do país com a Alemanha, e o Vístula, que atravessa o centro do país, drenando cidades importantes como Cracóvia e Varsóvia.

By Kmusser – Own work, Elevation data from SRTM, drainage basin boundary from USGS, all other features from Natural Earth., CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=24543621

Ambos os rios fazem o trajeto norte-sul, nascendo nas montanhas do sul e desembocando no Mar Báltico. Destaque aqui para o Vístula, que drena cerca de metade das águas continentais do país para o mar.

Rio Oder. Por NordNordWest – Own work, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3588973

Pelo fato da nascente da maioria dos rios poloneses estarem localizadas em regiões elevadas do sul do país, a alimentação ocorre, em geral, por via nival.

O país também dispõe de um número elevado de lagos. Cerca de 1% da superfície nacional é coberta por corpos d’água do tipo.

Artigo baseado em:

ASIEWICZ, Krzysztof; DAVIES, Norman. Enciclopedia Britannica. Disponível em: <https://www.britannica.com/place/Poland/Land#ref256672>. Acesso em: 19 fev. 2019.

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *