Como resolver facilmente exercícios de Fusos Horários

Frequentemente quando o conteúdo Fusos Horários é ministrado em sala de aula, diversos alunos expressam lamentações acerca da dificuldade que é resolver determinados exercícios.

Todavia, embora seja um tema que exija certo grau de abstração, a resolução de exercícios pode ser muito facilitada seguindo alguns passos básicos.

Primeiramente, devemos entender os preceitos básicos da lógica que rege os fusos horários. Em resumo:

  • Sendo uma circunferência, a Terra apresenta 360º. Como demora aproximadamente 24h para completar o movimento de rotação, cada hora corresponde a 15º (pois 360 dividido por 24 é 15).
  • A Terra gira de Oeste para Leste. Assim, os fusos horários aumentam para leste e diminuem para oeste.
  • O Meridiano de Greenwich marca o meio do Fuso Horário 0 (UTC). O antimeridiano 180º (continuação do Meridiano de Greenwich no outro lado do planeta) marca a Linha Internacional de Mudança de Data.
  • Quando se atravessa a Linha Internacional da Data de Leste para Oeste, adiciona-se um dia. Quando se atravessa de Oeste para Leste, retorna-se um dia. Ou seja, se atravessamos sentido Canadá – Rússia, adiciona-se um dia. No sentido Rússia – Canadá, subtrai-se um dia.

Sabendo disso, se faz necessário entender as principais modalidades de exercícios do tipo. Vamos lá!

Se dá a hora em um lugar, se quer saber a hora em outro

Luiza mora no Rio de Janeiro, cidade localizada no fuso UTC -3. As 19h, ela entra em vídeo chamada com sua amiga Vânia, que mora em Moscou, na Rússia. Sabendo que Moscou está no fuso UTC +3, qual será o horário em que Vânia estará conversando com Luiza?

É o tipo mais simples de exercício.

Como vemos, a diferença entre o UTC -3 e o UTC +3 é de 6 fusos.

Como Moscou está a leste do Rio de Janeiro, devemos adicionar 6 horas.

19h + 6h = 1h da manhã do dia seguinte.

Ocorre uma viagem, se quer saber o horário de chegada

Uma família que reside em Lisboa, Portugal, irá passar as férias no Brasil. A viagem de avião demora cerca de 14h do Aeroporto de Lisboa até o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Sabendo que o voo sairá de Portugal às 8h da manhã e que São Paulo está localizado no fuso UTC -3 e Lisboa no UTC 0, qual horário a família deve desembarcar no Brasil?

Este talvez seja o tipo de exercício mais clássico e um dos que mais confundem os alunos. Mas vamos lá.

Existem diversos caminhos para resolver esta atividade. A mais simples é descobrir que horas estará em São Paulo no momento em que a família sairá de Lisboa e depois adicionar as 14h.

Se o voo parte às 8h de Lisboa, em São Paulo serão 8h – 3h (diferença entre horários de ambas as cidades). Assim, sabemos que serão 5h na cidade brasileira.

Agora basta adicionarmos as 14h de voo. O resultado será 19h do mesmo dia.

Se dá a longitude, se quer saber o horário em cada ponto

(PUC RS) Três jovens amigos estão localizados em pontos diferentes da Terra: Paulo está a 165° leste de Greenwich; Pedro permanece a 45° a oeste de Paulo, e Clara está a 2° oeste de Greenwich. Sabendo que no Meridiano Inicial são 18 horas do dia 5 de janeiro, a hora legal e o dia em que estão Paulo, Pedro e Clara são, respectivamente,

A) Paulo: 4h – dia 6; Pedro 2h – dia 6; Clara 16h – dia 5;

B) Paulo 5h – dia 6; Pedro 3h – dia 6; Clara 5h – dia 5;

C) Paulo 17h – dia 5; Pedro 15h – dia 5; Clara 18h – dia 6;

D) Paulo 7h – dia 6; Pedro 9h – dia 5; Clara 18h – dia 6;

E) Paulo 5h – dia 6; Pedro 2h – dia 6; Clara 18h – dia 5;

Neste caso, serão necessários alguns cálculos matemáticos.

Sabemos que a cada 15º ocorre uma mudança de fuso. Neste caso, devemos dividir os graus em que cada jovem está localizado por 15.

Paulo, por exemplo, está na longitude 165º. 165/15 = 11. Como ele está a leste de Greenwich, seu fuso será UTC+11.

Pedro está a 45º a oeste de Paulo. Atenção, Pedro não está a 45º a oeste de Greenwich, mas sim a 45º a oeste da longitude 165º de Paulo. Assim, devemos tirar 45º dos 165º. Restam 120º. Pedro está a 120º a leste.

Fazendo a operação, 120/15=8. Assim, Pedro está no fuso UTC +8.

Por fim, Clara está a 2º a oeste do Meridiano de Greenwich. Vejamos, se a cada 15º temos a mudança de fuso e o Meridiano de Greenwich localiza-se no centro do UTC 0, nota-se que Clara está no justamente no fuso horário de Greenwich: 0.

Logo:

Paulo: UTC +11; Pedro: UTC +8; Clara: UTC 0.

Se no Meridiano Inicial são 18 horas de dia 5 de janeiro, basta fazermos as somas:

Paulo: 18h + 11h = 5h do dia seguinte (6 de janeiro)

Pedro: 18h + 8h = 2h do dia seguinte (6 de janeiro)

Clara: 18h do mesmo dia (5 de janeiro)

Alternativa E.

Quando se atravessa a Linha Internacional da Data

Este tipo de situação pode ser combinada por todas as outras descritas. Todavia, aqui demonstraremos dois casos genéricos, cuja combinação pode ser feita com os outros exemplos.

Caso 1 – Kaleo, morador do Havaí (UTC -10), desembarca 15h do dia 6 de agosto em Melbourne (UTC +11) na Austrália. Assim que chega, o jovem liga para a família que ficou em Honolulu. Que horas e em que dia seus familiares receberão a ligação? Leve em consideração que o avião fez o trajeto pelo Oceano Pacífico.

O primeiro passo é calcular a distância que cada UTC está do UTC 0. O UTC do Havaí, -10, está a 10 horas do Horário de Greenwich. Já o de Melbourne (+11), está a 11 horas do Horário 0. Assim, somamos: 11+10=21.

Agora, pensamos que, para ir de Melbourne até o Havaí, passando pelo Meridiano de Greenwich, devemos seguir para oeste. E, para oeste, subtrai-se horário.

Assim, 15h – 21h dará -6h.

O resultado deu negativo, como prosseguir? Siga o raciocínio.

De 15h até 0h do dia 6 de agosto, já se subtraiu-se 15h. Resta subtrair as 6h que sobraram. Então, recomeçamos o dia. 24h – 6h = 18h do dia 5 de agosto, dia anterior, já que viramos um dia.

Neste caso, ignoramos o fato da viagem ter sido feita pelo Oceano Pacífico, pois isto não iria influenciar no resultado e complicaria a resolução da questão. Recomendamos que você faça isso para obter a resposta de maneira mais rápida.

Caso 2 – Kaleo, morador do Havaí (UTC -10), desembarca 23h do dia 6 de agosto em Melbourne (UTC +11) na Austrália. Assim que chega, o jovem liga para a família que ficou em Honolulu. Que horas e em que dia seus familiares receberão a ligação? Leve em consideração que o avião fez o trajeto pelo Oceano Pacífico.

Aqui, fizemos uma sutil alteração no horário de chegada. Ela será as 23h do dia 6 de agosto.

As conclusões são as mesmas do caso anterior: Existe uma diferença de 21h entre os dois locais e, passando pelo Meridiano de Greenwich, o Havaí está a oeste da cidade australiana.

Logo, subtraímos: 23h – 21h. O resultado dará 2h da manhã do mesmo dia, pois não viramos o dia no cálculo (não sobrou um horário negativo).

Ficou bem mais simples fazer este cálculo com mudança de data, não é mesmo?

Lembre-se sempre de seguir estes passos básicos e de aprender os conceitos fundamentais. A resolução de exercícios do tipo será bem mais simplificada.

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *