Eclipses: solar e lunar


Os eclipses são fenômenos astronômicos que ocorrem quando um corpo celeste fica todo ou parcialmente encoberto por outro ou sua sombra.

Daqui da Terra, podemos avistar o eclipse de dois corpos celestes, o da lua, denominado eclipse lunar, e o do Sol, conhecido como eclise Solar.

Esquema dos eclipses lunar e solar
No primeiro caso, a Terra localiza-se entre o sol e a lua. Sendo assim, a sombra do nosso planeta é refletida sobre o satélite natural, fazendo-o ficar "invisível" a nosso olhos. Neste caso, a lua quase que literalmente desaparece do céu, adquirindo também uma coloração envermelhada em vários casos.

Já no segundo, o que acontece é que a lua acaba ficando localizada em uma posição entre a Terra e o Sol. Sendo assim, o sol faz com que a sombra da lua seja projetada sobre nós. Quando este fenômeno ocorre, há, em pleno dia, o aparecimento de uma escuridão no ponto do nosso planeta em que ocorre o eclipse, já que a sua sombra está sendo refletida sobre nós.

Dependendo da posição do eclipse temos a classificação
entre eclipses total, parcial e anular.
Os eclipses podem ser divididos em total, parcial e anular. Quando, por exemplo, a lua "veda" totalmente o brilho do sol em certa região do planeta, pode-se dizer que foi o eclipse total. Quando veda somente uma parte, é considerado parcial, e se localizado de forma em que cubra apenas uma parte central, onde ainda pode ser visto raios solares por detrás do satélite, anular, anelar, ou ainda, eclipse em anel.

Das regiões vistas daqui da Terra, a umbra é quando a região está exatamente à frente do fenômeno, onde acaba tendo a ocorrência de fato dele, e a penumbra nas laterais do mesmo.

Também é necessário destacar que olhar diretamente para um eclipse não é algo recomendável, já que pode trazer riscos para retina e a saúde do olho em geral.
Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »