Agropecuária intensiva e agropecuária extensiva

Aqui no Geografia Opinativa, já comentamos sobre a classificação das atividades agrícolas conforme as principais técnicas de cultivo. Porém, existe outro tipo de classificação que, totalmente ligada à anterior, ordena os diferentes conjuntos de atividades agropecuárias segundo o grau de tecnologia empregado na produção. É a partir deste critério que se estabelece a divisão entre a agropecuária intensiva e a agropecuária extensiva.

Agropecuária intensiva

Neste tipo de sistema, existe o emprego de técnicas modernas de produção, geralmente com alta produtividade.
 

Na agricultura intensiva, a biotecnologia, que inclui a manipulação genética de sementes e frutos que aumentam sua resistência a pragas e a mudanças climáticas, por exemplo, e o uso de adubos químicos e orgânicos, são algumas das técnicas que auxiliam no aumento da produção. O maior aproveitamento do solo, diminuindo seu desgaste, também é fator marcante.


Já na pecuária, o gado geralmente vive confinado e recebe regular acompanhamento veterinário, o que acarreta em melhorias no produto final. A ração, por exemplo, geralmente é de alta qualidade.

Agropecuária extensiva

A agropecuária extensiva é aquela praticada em lotes familiares e que utiliza-se de técnicas rudimentares de produção.

 

Na agricultura, geralmente itinerante, usa-se mão-de-obra familiar e pouco qualificada e técnicas arcaicas de cultivo, o que inclui queimadas e o uso dos arados de boi. A produtividade é baixa e restringe-se a subsistência.

Na pecuária, o gado é criado solto e é alimentado com o pasto nativo. A inexistência de técnicas modernas resulta em uma carne com menor qualidade e pouco competitiva no mercado.

Fernando Soares
Fernando Soares

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »