A indústria no Reino Unido

O Reino Unido foi o primeiro país do mundo a se industrializar. Movido pela energia do carvão, o país liderou a Primeira Revolução Industrial. Atualmente, é a quinta maior economia do mundo e a segunda da Europa, onde perdeu o protagonismo para a ascensão alemã.

Antecedentes

Este pioneirismo inglês no tocante à indústria pode ser explicado por alguns motivos. Dentre eles, podemos destacar:

  • Acumulação de Capital através do comércio de especiarias provenientes de seu grande número de colônias;
  • Instituição da Lei dos Cercamentos, que substituiu a agricultura nos moldes feudais no campo inglês pela criação de ovelhas, base para a instalação de fábricas têxteis;
  • Criação de um exército de trabalhadores de reserva, expropriados de suas terras pela Lei dos Cercamentos;
  • Abundância de carvão mineral, fonte de energia para operação das fábricas;
  • Estado favorável ao desenvolvimento industrial, através da aplicação de legislações burguesas, especialmente após a Revolução Gloriosa.

Todavia, o início do século XX trouxe um revés para a potência insular europeia. Com a Segunda Revolução Industrial e a mudança da principal força energética do carvão para o petróleo, a Alemanha e os EUA foram alçados à dianteira do Capitalismo Mundial. Com seu parque industrial desatualizado e com profundas dificuldades para se adaptar à nova lógica mundial, a Inglaterra fora deixada para trás.

A situação foi ainda agravada após a Segunda Guerra Mundial. Além das perdas materiais e econômicas do país durante o conflito, o Pós-Guerra foi marcado por um movimento global de independências. As antigas colônias inglesas guerreavam e conquistavam suas autonomias, esfacelando o grande Império Britânico.

O Reino Unido dependia fortemente dos produtos agropecuários produzidos em suas colônias. Em certo ponto, países como Índia e África do Sul passaram a não conseguir sozinhos abastecer a indústria britânica, devido ao crescimento de suas populações e ao surgimento de suas primeiras iniciativas industriais. O conjunto destes fatores resultou na decadência do antigo império.

Localização industrial

Atualmente, as principais regiões industriais inglesas são encapsuladas pelas cidades de Londres e Birmingham, ambas no sul do país.

Neste novo cinturão industrial, estão localizadas indústrias de setores diversificados, como o biotecnológico, o automobilístico, o aeroespacial, o farmacêutico, o mecânico e o petroquímico.

A tendência no Reino Unido é, todavia, o abandono de grandes fábricas que marcaram a industrialização do país. Atualmente, surgem inúmeras indústrias de pequeno porte, localizadas em cidades menores que, através da superespecialização, estão conseguindo competir em mercado nacional e internacional.

Rio Irweel, em Manchester, antigo polo industrial do Reino Unido. Fonte: By Alex Lozupone - Own work, CC BY-SA 3.0.
Rio Irweel, em Manchester, antigo polo industrial do Reino Unido. Fonte: By Alex Lozupone – Own work, CC BY-SA 3.0.

Anteriormente a este processo de modernização da indústria britânica, a configuração do espaço industrial do país era bastante diferente. Ainda no período de domínio do carvão, os setores têxtil, naval e siderúrgico estavam na dianteira, localizados no centro do país, entre as cidades de Liverpool e Manchester, e nos arredores de Glasgow, na Escócia. Estas áreas ficaram conhecidas como “regiões negras”.

Com a decadência da indústria nacional e a ascensão do eixo Londres-Birmingham, estas regiões passaram a sofrer com fortes problemas, dentre eles o desemprego, que levou a um processo de migração interna para áreas mais dinâmicas.

Assista também nosso vídeo sobre o assunto:

Share

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *