Resumo: Diferenças entre socialismo, comunismo e capitalismo

Fernando Soares de Jesus

Meu nome é Fernando Soares de Jesus, natural de Imbituba/SC, estudante do curso de graduação em Geografia na UFSC e futuro geógrafo e professor. Criei este blog ainda no Ensino Médio, em meados de 2013, com o objetivo de compartilhar e democratizar o conhecimento geográfico, desde o campo físico até o campo humano, permitindo seu acesso de maneira clara e descomplicada.

20 Resultados

  1. Conseguiram te doutrinar! Reveja o teu texto, por favor! Os dois últimos parágrafos constituem-se em aberrações conceituais.Vemos no último: Países socialistas (Cuba, por exemplo), são vistos como mais fechados. Eles não são vistos (como se fosse uma opinião), ELES SÃO OS MAIS FECHADOS. É proibido ao cidadão de sair dele. Tente furar as cercas da Coréia do Norte. Com certeza, seu corpo ficará com um quilograma a mais pelo chumbo que receberá! Cuba socialista? Bah, cara! Regime totalitário que matou através das armas mais de um quarto de sua população para implantar o marxismo. E muitos mais de fome! Quanto a desigualdade? No comunismo todos são iguais, verdadeiros escravos, menos os chefes, minguando de fome e sem amparo estatal pois o estado (e tudo o que se produz) é destinado ao Ditador e sua camarilha de chefes.

    • Olá, Hilário! Não julgo sua opinião sobre o socialismo. Cada um tem livre arbítrio de interpretar a história como quiser. Mas não entendi sua postulação acerca dos dois últimos parágrafos. Os países socialistas de hoje são vistos como os mais fechados. E não coloco isto como uma opinião. Realmente, eles os são (acredito que nem o mais assíduo marxista negaria isto, nem que seja, na visão destes, para defender o regime do capitalismo externo). Em relação a busca pela igualdade, realmente o socialismo, em tese, visa a extinção das classes sociais. Se isto foi colocado em prática ou não dentro dos regimes comunistas, é, como eu disse, interpretação histórica da cada um. Eu tenho meus posicionamentos, alguns mais à esquerda, outros, não, e você pode ter o seu. Espero que continue lendo o Geografia Opinativa.

      • José Gilberto Martins Manvailer disse:

        Ok, Fernando! Concordo contigo que cada um tem seu posicionamento! E digo mais, sua liberdade de expressão. Inclusive, é fruto da liberdade que exercemos em nosso país. Creio e com toda a certeza, se, no Brasil não tivesse ocorrido a revolução de 1964, com a mão firme das Forças Armadas, seríamos uma Cuba ou talvez, uma Coreia do Norte, ou qualquer outro pais do mundo em que vive na opressão e sem liberdade. O que estamos vendo hoje em nosso pais, é exatamente o comunismo lentamente tomando conta de tudo, fruto desses partidos de Esquerda que se revezam no poder a mais de 20 anos (PSDB, PT, PMDB, etc.), o que foi implementado, sem qualquer dúvida sob o manto dos PTralhas. Os comunistas, seguindo a Cartilha de Lênin, fazem o trabalho de doutrinamento, exatamente nas escolas, que aliás, querem influenciar as pessoas, tentando vender o comunismo/socialismo como se fosse um dos melhores regimes. A cartilha de Lênin (com seus “mandamentos”) orienta a seus adeptos, a não pegar em armas, mas sim, doutrinar os jovens nas escolas. O que vejo sim, que falta nas grades curriculares das escolas brasileiras, principalmente, do ensino fundamental, é a matéria de Educação Moral e Cívica. Algo que é abominável pelos comunistas. Portanto, essa conversa “mole” é nada mais do que uma estratégia de doutrinamento de regime comunista, que é mau, que é ruim, que é perverso e que tolhe a liberdade de um povo.

        Segue o decálogo de Lênin em seus “dez mandamentos” e que possa ser analisado e tirado uma conclusão sobre o que é o comunismo!

        1.Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual

        2.Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;

        3.Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais

        4.Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;

        5.Colabore para o esbanjamento do dinheiro público;

        6.Coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;

        7.Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

        8.Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;

        9.Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

        10.Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa…

  2. Edgard disse:

    Bela iniciativa, Fernando! Meus parabéns! Precisamos submeter o nosso país a uma profunda transformação. Para tanto, devemos, como bem sabemos, partir da educação. Espaços para discussão de assuntos relevantes, a exemplo do tema que você aborda, devem ser aproveitados para, respeitosamente, debatermos e buscarmos a ampliação do nosso conhecimento e, consequentemente, alimentarmos em nós, a possibilidade de um Brasil melhor. Um grande abraço, Fernando!

  3. Lucas Hideki disse:

    ainda não entendo porque que tem tanta gente condenando o comunismo…

  4. Lukas Perin disse:

    bom… o Capilaismo não é o melhor modelo de economia…. mas é o único que funciona, podemos tirar isso vendo os comparando a Coréia-do-Norte e a do Sul, Onde norte é um país totamente falido sem alimento, e o outro cresce mais que Bambu depois do segundo ano de vida, Marx nem deveria ter existido, aquele psicopata genocida barbudo, que mascarava suas ideias e quando dava errado colocava sua culpa em outra coiisa.

    “As classes e as raças, fracas demais para dominar as novas condições de vida, devem ser submetidas à dominação.
    Quando a revolução socialista acontecer, quando a guerra de classes acontecer, haverão sociedades primitivas na Europa dois estágios atrás, porque elas nem sequer são capitalistas ainda.
    Os bascos, os bretões, os escoceses, os sérvios, que chamo de “lixo racial” tem que ser destruídos porque, estando dois estágios atrás na luta histórica, será impossível trazê-los ao nível dos revolucionários.
    Os húngaros e os povos eslavos são imundos e a Polônia não tem razão para existir.
    As classes e as raças, fracas demais para conduzir as novas condições de vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário.”

    -Karl Marx O lixo humano

    • alcides57 disse:

      Karl Marx e a sua teoria expressada no seu livro “O Capital” jamais foi contestada. A transferência de renda que há nas classes sociais no mundo, sempre dos mais pobres para os mais ricos permanece absoluta. Quanto à forma dele fazer valer o seu regime pela força e submissão é uma grave doença da alma. Mas isso existe nos demais regimes econômicos do mundo. No momento atual estamos vendo isso claramente. Alguns postos de comando foram alcançados por pessoas que pensam como Marx, Stalin, porém sob outro regime, o capitalista. E assim toda a humanidade corre riscos de desagregação social e econômica com consequências desastrosas. E isso já foi previsto, as profecias estão sendo cumpridas e Deus prevalecerá. Então os maus serão extirpados e haverá um só Senhor. DEUS!

  5. Felipe Tartuce disse:

    Se nem o socialismo deu certo, imagina o comunismo.
    O ser humano tem a tendencia a ser preguicoso, se nao houver o estimolo do capitalismo de conquistar as coisas a nacao nunca ira crescer e cada vez mais ira regredir.
    Nao ha nenhum sistema perfeito, porem o capitalismo eh o que se mostra mais eficiente hoje em dia.
    Se pegarmos a parte boa de todas as doutrinas teremos uma nacao forte e igualitaria, veja alguns paises na europa que visam diminuir a diferenca entre as pessoas dando estudo e condicoes de trabalho, sem falar no baixo nivel de corrupcao.

    • Felipe disse:

      eu apoio o capitalismo mas suas “defesas” ao mesmo, qualquer um encontra em um blog qualquer, tente convencer de forma mais integra essa sua visão em relação ao estimulo, é no mínimo estupida, podemos ter o estimulo de ajudar ao próximo, por exemplo, então em resumo o capitalismo nem o socialismo muito menos o comunismo, é uma saída para um mundo de desgraça, pois mesmo que o comunismo seja implantado(por meio de uma guerra que mataria muita gente) não seria nem de longe um mundo de paz já que aqueles que perderam amigos e familiares na guerra contra o capitalismo ficariam revoltados, espero um dia viver em um mundo capitalista com direitos básicos como a educação e a saúde, sem planos sócias que visam o comodismo e a conversão, e sim que planos de governo que estimulem o pais e que crie empregos.

  6. marcelo disse:

    Eu ainda prefiro correr atras do pao que esperar ele chegar na minha mesa.. pois ai aceitarei qualquer coisa que vier… vamos cultivar a inteligencias, ser bravo com nossas fraquezas e bravos em defender a verdade!

    • Diego disse:

      Enquanto você escolhe o que vai comer de café da manhã “correndo atrás”, milhões de pessoas passam fome no Brasil. E não me venha falar que você mereceu escolher o que comer, porque esta história de meritocracia surge no mundo capitalista para que você se esforce e gaste toda sua força trabalhando com a intenção de um dia se tornar rico ou algo do tipo, mas a verdade mesmo é que você ta dentro de uma lógica mercadológica que quem sai ganhando são os grandes empresários independente do serviço que você presta dessa sociedade . Uma pessoa negra que nasce na favela, vai ter muito mais obstáculo na vida que uma pessoa de classe média, branca por exemplo. E se algumas pessoas da favela por exemplo, conseguem uma ascensão econômica e social através de um esforço descomunal (diferente do esforço de uma pessoa branca de casse média), são a raridade, o resto dessa população batalha para sobreviver entrando no crime, trabalhando muito mais que 8 horas por dia, entre outras coisas desumanas e passando fome e insegurança. E isso entra a discussão do ESTADO capitalista que privilegia uma pequena parcela da sociedade e discrimina a maior parte dela (haja visto as políticas públicas na atual conjuntura, privilegiam o grande capital e os grandes empresários, e quem paga a conta é a população). Inteligência todos temos, mas alguns preferem pensar com o que ta posto, com isso não precisa gastar sua capacidade mental pra desvendar a realidade concreta. é melhor viver com o que ta posto já que você em seu egoísmo, não passa fome e tem onde morar. O resto que se lasque, não é mesmo? Vamos pensar de um jeito mais totalizante, isso faz bem pra alma e pra sociedade como um todo. Você não é diferente do que as pessoas que passam necessidade não, lembre-se disto. Do que adianta correr atrás do pão de cada dia, já que outras pessoas não tem condições pra isto. Estamos num mundo onde reina é o egoísmo. Não estou argumentando que não devemos trabalhar e buscar nossa sobrevivência, este discurso coloca reflexões para pensarmos em uma sociedade melhor. A culpa não é do cidadão, a culpa é de um sistema manipulante chamado capitalismo. Em tese nenhum pais se tornou realmente comunista, mas não creio que o sistema capitalista seja a melhor opção. Este sistema esta acabando com o mundo, com uma produção de massa sem limites. Esgotando todos os recursos naturais existente em prol de cada vez mais lucro das grandes empresas. O mundo era pra servir pra gente sobreviver dele e interagir e não para destruí-lo. Quem vai pagar por isso não somos nós, mas qui ça nossos netos e bisnetos possam já sentir na pele essa destruição advindos dessa organização capitalista que só pensa em dinheiro e poder.

  7. Parabéns! Seu trabalho é muito bom!

  8. carlos girotto disse:

    Adorei o que li. parabéns Fernando, continue as divulgações, mesmo com pessoas além de mal educadas e sem memória ou sem história, ou até mesmo com história mal contada ou mal ensinada, os argumentos são válidos e aprendemos a sermos democráticos e republicanos em aceitar com passividade e respeitos a todos os comentários. Infelizmente abandonei meu curso de geografia porque agora foi aprovado pelo capitalismo a não exigência de professor formado em geografia para dar aulas de geografia. E acabamos de saber que o capitalismo deu certo no brasil agora em 2017, certo para 6 brasileiros que detém 95% das riquezas dos outros habitantes.

  9. marco antonio de freitas disse:

    Nossa! Quanto inconsequente/filhinho de mamãe/bobinhos incultos juntos!

  10. Gabrielly disse:

    Parabéns Fernando. O resumo me ajudou muito!

  11. Francisco disse:

    Pessoal achei esse texto de um político com o intelectual cubano Enrique Ubieta, e achei interessante colocá-lo aqui. Leiam. O ideal seria reunir o que há bom nos dois regimes. Ambos tem prós e contras: «O capitalismo não é uma soma de aspectos positivos e negativos, de elementos que possam ser recuperados ou descartados: é um sistema que, em um dado momento, foi revolucionário e hoje não é. Ele engloba e reúne tudo: a alta tecnologia, a riqueza mais sofisticada e a extrema pobreza. Aqueles elementos que contribuem para maior eficácia na produção são os mesmos que alienam o trabalho humano. Aqueles que criam riqueza para alguns, produzem pobreza para a maioria, em nível nacional e internacionalmente. Eu acho que é uma falácia estabelecer tal objetivo: não existe o ‘melhor do capitalismo’, como se o capitalismo pudesse ser refinado, como se um bom capitalismo fosse viável. Há versões muito ruins, como o neoliberalismo ou o fascismo, mas não sei de nenhuma que seja boa. O capitalismo é sempre selvagem». «Por outro lado, o socialismo, diferentemente do capitalismo, não é um todo orgânico, uma realidade já construída, mas sim um caminho que não deixa para trás totalmente o sistema que está tentando superar. Testamos aqui e ali, adotamos novas formas, avançamos e recuamos, eliminamos o que não der, corrigimos os erros uma e outra vez; um caminho para outro mundo, no meio da floresta, porque o capitalismo é o sistema hegemônico. O que caracteriza o socialismo é a sua intenção firme, declarada, de superar o capitalismo». «Existe um centro? Sobre que bases é estabelecido? No sistema eleitoral capitalista, supostamente, há uma esquerda e uma direita, mas essa esquerda, cuja matriz ideológica é a social-democracia, que originalmente era marxista e tencionava reformar o capitalismo, até que desaparecesse gradualmente, hoje é funcional para o sistema e repudia o marxismo, e difere dos partidos conservadores em suas políticas sociais e sua compreensão sem preconceitos da diversidade. A fórmula centrista funciona dentro do sistema capitalista como um recurso de propaganda eleitoral. O eleitor — que é tratado como um cliente, porque as eleições funcionam como se fosse um mercado — está cansado de que os partidos da direita e da esquerda se revezem e apliquem políticas semelhantes e o sistema, então, constrói uma terceira maneira falsa». «Mas os pólos reais não estão dentro de um sistema, são opostos: eles são o capitalismo e o socialismo. Não existe um centro, um espaço neutro entre os dois sistemas. A social-democracia encontra-se dentro do capitalismo, mas finge ser um centro, tentando fazer aquilo que declaramos impossível: tirar o melhor de ambos os sistemas. Na verdade, provoca uma alternatividade de métodos, não de essências. Sem falarmos de casos muito isolados, como poderia ter sido Olof Palme, na Suécia, que viveu em um país muito rico, que ainda sem ter colônias, como parte do sistema capitalista, também se beneficiou do sistema colonial e neocolonial».
    «A social-democracia, que parecia ser a vencedora, deixou de fazer sentido quando a União Soviética entrou em colapso e desapareceu o bloco socialista. Nem mesmo foi capaz de ficar na Suécia (Olof Palme foi assassinado). Depois disso, o sistema não mais precisou dela e teve que se recompor. A Terceira Via de Tony Blair é um centro que foi derivando mais para a direita: aceita e implementa políticas neoliberais e é aliada das forças do imperialismo em suas guerras de conquista. A história da social-democracia é essencialmente europeia».

Deixe uma resposta